Quem controla os pensamentos controla a humanidade

Somos o que pensamos. A grande luta humana pertence à guerra pelo domínio dos pensamentos.

Pensa, age, habitua constrói um caráter. Esse poder passa a determinar o filtro pelo qual fica estabelecida a sua visão de mundo, e logo o que VOCÊ passa a ser. Logo quem eu sou? Sou aquilo que penso. Como posso ME descobrir? NÃO É FÁCIL, mas possível. Uma brincadeira, pergunte pra VOCÊ mesmo: como eu penso quando eu penso. No que penso quando penso? Como pensei instantes antes de agir como eu ajo? O que ou quem me faz pensar como eu penso? Simples mas requer muita disciplina e vontade, para descobrir a sua unicidade dentre uma máquina complexa de emissões radioativas pulsantes e intermitentes de insights do pensar, precisamos, ao contrário de nos fecharmos, nos abrirmos. Nada novo. A filosofia existencialista de Camus e Sartre propõem a experienciação profunda, a imersão e o emergir com as descobertas. Nunca ME esqueço do livro A queda de Camus, em Amsterdã ( um dia fui la e também me hospedei no hotel Damrak ). ENTÃO preciso visitar distintas culturas, visões, abertura para o que julgo hoje errado, indiferente, certo, muito certo… vivenciar dialéticas posições. E sempre perguntar para o meu pensamento… e agora como eu penso quando penso?

Deveremos descobrir após profunda busca do quebra CABEÇA da verdade, de que NÃO existe só uma. A verdade gosta de espalhar partículas por todos os cantos. Assim, quem for jogar com ela, a achara ou a perdera, NÃO importa o seu ponto de observação do universo.

Assim, voltamos para nos mesmos. A verdade brotara do nosso núcleo intocável, ou agora multi tocado pelas experienciações as quais nos oferecemos para ver, sentir, ouvir, degustar e tocar… talvez isso deva ser o viver na multiplicidade de vidas que deveríamos viver. (quem disse que temos apenas uma só vida?)

Desconfie da ausência da duvida. Mas saiba que precisamos dela.
Como VOCÊ pensa quando pensa nisso?

5 poderes da nova geração globalizada e descolada

Estou dando aulas num MBA na França para um grupo de jovens de vários lugares do mundo. Asiáticos, africanos, europeus, americanos do norte, do centro e do sul, brasileiros…

Impressionante como esse mix de cultura produz um caldo efervescente de participação e debates. Não devemos mais ficar falando mal desses MILLENIUNS, como se fossem um bando de retardados GOOGLE ORIENTED AND DEPENDENT… Vejo 5 poderosas manifestações de evolução entre eles:

1 – COMPARTILHAM SUAS GEOGRAFIAS E CULTURAS SEM O RANÇO DO PRECONCEITO.

2 – RESPEITAM A SABEDORIA DOS MESTRES E DEMONSTRAM ISSO SABENDO OUVIR EM SILÊNCIO.

3 – SÃO ENGAJADOS, NAS DISCUSSÕES DOS CASES SABEM COLOCAR SUAS PAIXÕES PRA FORA E PARTICIPAR COM INTENSIDADE.

4 – ATUAM CONSCIENTE NA BUSCA DO TRABALHO E DO APRENDER FAZENDO, TODOS ESTES ALUNOS JÁ OPERAM EM ESTÁGIOS.

5 – TODOS DEMONSTRAM UMA FORTE VONTADE EM RETORNAR AOS SEUS PAÍSES E CONTRIBUIR PARA O PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO DAS SITUAÇÕES QUE ALI EXISTEM, CONSIDER as OPORTUNIDADES, PRINCIPALMENTE NA CHINA, ÁFRICA, ÍNDIA, AMERICA CENTRAL, E DA MESMA FORMA OS BRASILEIROS.

Isto não se trata de otimismo tolo, assim como combatermos o pessimismo chato é da mesma forma importante. Isto significa realidade esperançosa, como escreveu Ariano Suassuna, nosso intelectual tropical.

Novas cabeças de lideres é o que precisamos urgente no Brasil

O governador Pedro Taques do Mato Grosso, hoje o maior estado da agropecuária brasileira está com uma boa cabeça inovadora.

Ele quer mudar as coisas e transformar o complexo e traiçoeiro sistema de tributos, numa coisa simplificada. Imaginem só. Utilizar o gratuito do universo, a criatividade para melhorar a vida das pessoas. O que pretende? Mandou um texto para a assembléia legislativa que unifica alíquotas e estabelece o tão falado e tão adiado – IVA imposto de valor agregado. imaginem só com isso há uma redução de 1000 páginas para algo em torno de 65.

Numa pesquisa realizada pela Tozzini Freire Advogados, com a Associação Brasileira das Empresas de Capital Aberto, os itens compliance, governança são os maiores focos jurídicos das corporações. Mas leia-se o compliance tributário, como angustiante.

Mato Grosso, o Rei dos Grãos e da pecuária no pais, pode dar um show de uma moderna e inovadora liderança. Boa Pedro! E que o outro apóstolo a copie – Paulo de São Paulo.