Navegação de Posts

Itaquerão terá garantia estatal para empréstimo estatal

Há meses os leitores deste Blog já sabiam que o Banco do Brasil seria a única empresa que poderia garantir a construção do Itaquerão. Claro, nenhuma empresa privada entraria nesta aventura. Nas empresas estatais e mistas quem manda é Governo. Ali as decisões não são técnicas, são políticas. Cada uma tem sua ala política mandando.

O Ministério Público Federal promete jogo duro.

Não acredito, pra mim não passa de jogo de cena. É imoral um banco misto ser fiador de uma operação milionária junto a outro banco estatal. Mas, quem manda na Justiça?

Mensalão, Battisti, Hora do Brasil… nenhuma decisão foi justa e democrática.

Agora, neste caso do BNDES o promotor é outro: José Roberto Pimenta de Oliveira.

Leia a matéria:

http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2012/03/16/sem-bndes-odebrecht-pedi-mais-r-150-milhoes-emprestados-para-tocar-itaquerao.htm

Aqui em São Paulo o Ministério Público só fez fumaça em relação ao terreno do estádio. Embora o clube não tivesse cumprido o acordo feito com Jânio Quadros e construído o seu estádio, fui contra a devolução do terreno porque havia o CT do Corinthians.

Sempre fui favorável a manter o empréstimo do terreno para o CT do Corinthians.

Qualquer clube, federação ou confederação pode pleitear o empréstimo de um terreno público para construção de um centro de treinamento. Sou favorável, apóio o tênis nessa. É bom para a sociedade. O que não pode, no caso de clube privado, é pegar o terreno e fazer comércio, vender produtos, serviços, obter receitas para o clube privado.

No caso de uma entidade é justo porque “teoricamente” o dinheiro é para a modalidade.

No caso do Itaquerão o empréstimo fica descaracterizado. É como fazer um Shopping.

Teve gente que acreditou na devolução do terreno. Deu até no G1: “A construção do estádio do Corinthians é ilegal”, afirma o promotor José Carlos de Freitas, responsável por uma ação civil pública que pede à Justiça que o Corinthians devolva à Prefeitura de São Paulo o terreno onde quer construir o seu estádio, atualmente ocupado pelo centro de treinamento do time alvinegro.”.

Os mais atentos pesquisaram o promotor no Google. Cairam na real.

A Prefeitura não só deu o terreno, como vai dar outro terreno para o desvio dos dutos. Caso contrário o custo ficaria inviável. Chegaria a cerca de R$ 100 milhões. Pesquise o custo do terreno na região, inclua uma enorme área de recuo, licenças ambientais, etc…

Será que o Palmeiras teve a mesma facilidade com a Arena Palestra?

Fala sério.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Comentários encerrados.