• Patrocínio:

  • Apoio:

  •  

  • Realização:

Mobilidade Urbana


Com quase 208 milhões de habitantes e 61 milhões de veículos em circulação, o Brasil enfrenta hoje um dos maiores desafios globais do século 21, que é a Mobilidade Urbana. Como permitir que pedestres, motociclistas, ciclistas e motoristas convivam de forma eficiente e respeitosa nas mesmas vias? O tema é complexo, mas com a ajuda de novos modelos e tecnologias dá para sonhar com um trânsito mais fluído.

A boa notícia é que há, sim, solução urbanística e tecnológica para tirar o Brasil dos congestionamentos e reduzir o tempo perdido pelos motoristas no trânsito. Mais do que dinheiro, a mudança passa pela adoção de modelos inteligentes de tráfego e modificação até da estrutura das cidades. Hoje, estima-se que o brasileiro fique 45 dias por ano no trânsito. Diante desse cenário, as propostas de mobilidade urbana sustentável também ganham muito peso na discussão. Além dos transportes sobre trilhos, como metrôs e trens, cresce o incentivo ao uso de bicicletas - comuns ou elétricas. Isso, no entanto, demanda o investimento na construção de ciclofaixas e ciclovias.

Não há uma única solução para o tema Mobilidade Urbana, mas a união de várias saídas para esse problema universal.

Programação

João Doria Junior
Prefeito de São Paulo

Alexandre Baldy

Marcos Monteiro

Sergio Avelleda

Ciro Biderman

Daniel Mangabeira

Flavia Rosario

Fabio Fernandes

Paulo Frossard

Harold Peter Zwetkoff

Rodrigo Galvão

Luiz Carlos Néspoli

Maxwell Borges de Moura Vieira

Luiza de Andrada e Silva

Alexandre Lafer Frankel

Luiz Eduardo Índio da Costa

Ruy Ohtake

Abertura

João Doria Junior

Prefeito de São Paulo

Encerramento

Lais Souza

Ex-ginasta brasileira

Painel 1

Políticas Públicas

A ausência, no passado, de políticas públicas para transporte de massa e mobilidade urbana, aliada a passagens mais caras, provocaram uma queda visível na utilização do transporte público no Brasil. Estima-se que o número de passageiros de ônibus, por exemplo, caiu em 50% nos últimos anos. Em algumas cidades, dependendo do trajeto, é mais barato usar moto ou carro do que o ônibus, metrô ou trem. Sem falar nos casos em que há ausência total de transporte público.

Esse cenário deu força para a criação, em 2012, da Política Nacional de Mobilidade Urbana, que foi revista e modificada em 2017. Municípios que ainda não elaboraram o Plano de Mobilidade Urbana terão, agora, prazo até dezembro do ano de 2022 para a elaboração. O desafio é desafogar o trânsito e proporcionar deslocamentos mais eficientes para a população.

Palestrantes:

Alexandre Baldy

Ministro das Cidades

Marcos Monteiro

Secretário de Planejamento e Gestão

Sergio Avelleda

Secretário de Mobilidade Urbana

Ciro Biderman

Coordenador do Centro de Política e Economia do Setor Público (CEPESP)

Daniel Mangabeira

Diretor de Politicas Publicas da Uber

Painel 2

Tendências

Drones nos céus, carros, ônibus e caminhões sem motoristas nas ruas e estradas. O futuro da Mobilidade Urbana será dominado pelas tecnologias. Sensores, aplicativos e conexões à internet ultra rápidas prometem trazer modelos inimagináveis ao nosso dia a dia. Gigantes do mundo da Internet, montadoras e até mesmo fabricantes de aeronaves estão reinventando os bastidores da locomoção e se preparando para dar início a uma nova era que deve mudar a forma como transitamos de um ponto para o outro.

Já imaginou pegar um táxi-drone? Não é filme futurista, mas um dos projetos que envolve players globais e pode mudar os hábitos de muita gente. No campo dos veículos terrestres, os veículos híbridos e elétricos ganham cada dia mais relevância na discussão assim como a tecnologia embarcada em carros e motos.

Palestrantes:

Flavia Rosario

Waze

Fabio Fernandes

Diretor de negócios para governo da chinesa ZTE

Paulo Frossard

Vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Mastercard

Harold Peter Zwetkoff

Diretor-presidente da CCR

Painel 3

Integração dos meios de locomoção & Preservação da vida

Um meio de transporte não substituirá o outro. Todos os modais se complementam. Com o trânsito moroso, muita gente passou a buscar nas bicicletas uma alternativa ao tempo perdido. Com os corredores de ônibus em cidades como São Paulo, há também quem prefira deixar o carro na garagem para usá-los sempre que possível. Correr de casa para o trabalho também foi uma alternativa 2 em 1 encontrada por alguns executivos de mercado. Em qualquer que seja o meio de locomoção, a preservação da vida é uma questão tão prioritária quanto a fluidez do tráfego.

Palestrantes:

Rodrigo Galvão

Presidente da Oracle Brasil

Luiz Carlos Néspoli

ANTP

Maxwell Borges de Moura Vieira

Diretor-Presidente Detran

Luiza de Andrada e Silva

Diretora-executiva do IVM (Instituto Cidade em Movimento)

Painel 4

O poder transformador do crescimento

A Mobilidade Urbana passa pela mudança de hábitos da população. Morar muito longe do trabalho e colocar mais um veículo de trânsito é um problema quando multiplicado por milhão. Esse amontado de carros e motoristas presos no trânsito fez as incorporadoras enxergarem a enorme fatia da população que precisava residir em regiões das cidades mais próximas das empresas. Foi assim que, de olho nessa demanda e também em quem mora sozinho, que os apartamentos compactos vêm ganhando força. Com eles, surgiram os serviços compartilhados - muito além da piscina, os prédios agora ganham lavanderia liberada para uso de todos e bicicletário. Isso sem falar na adoção do conceito de carsharing, que tende a virar um diferencial. Questões de sustentabilidade estão priorizadas nisso, já que o intuito é poluir cada vez menos, assim como o respeito aos portadores de deficiência física que precisam encontrar estruturadas preparadas para seu fácil deslocamento.

Palestrantes:

Alexandre Lafer Frankel

Vitacon

Luiz Eduardo Índio da Costa

Urbanista

Ruy Ohtake

Arquiteto e designer

Como Chegar

Tivoli Mofarrej

Alameda Santos, 1437 - Jardim Paulista, São Paulo - SP, 01419-001, Brasil