Kaká volta fazendo gol e o Brasil goleia o fraco Iraque

O Brasil fez a sua parte. O adversário era primitivo, uma das piores seleções do mundo, mas os jogadores não têm nada a ver com isso e golearam por 6 x 0.

Mano Menezes montou um time sem centro-avante já que Luís Fabiano não foi convocado e Leandro Damião está contundido.

O meio-campo foi ultra-ofensivo com Paulinho, Ramires, Kaká e Oscar e funcionou contra o Iraque. Não sei se funcionaria contra uma equipe mais forte.

Talvez com maior tempo para treinar possa funcionar também já que Paulinho e Ramires são volantes e meias ao mesmo tempo.

Oscar abriu a contagem depois de ótima jogada de Neymar que somente aos 20 do primeiro tempo é que apareceu no jogo.

Apareceu e foi decisivo. Driblou dois iraquianos e tocou para Oscar abrir a contagem.

No segundo Neymar tocou em Kaká que achou Oscar debaixo do gol para ampliar o marcador.

O Brasil virou vencendo por 2 x 0 e o Iraque não incomodou em quase nenhum momento o goleiro brasileiro Diego Alves.

No segundo tempo o Brasil fez mais quatro gols e não deu chance alguma aos iraquianos comandados pelo lendário Zico, o maior jogador da história do Flamengo e um dos maiores da história do futebol brasileiro.

Kaká fez o seu em ótima jogada pessoal; Hulk, Neymar e Lucas que entrou no lugar de Hulk, completaram o placar.

Volta de Kaká

O destaque acabou sendo a volta de Kaká que não jogava com a camisa da Seleção Brasileira desde o dia 2 de julho de 2010 na Copa da África do Sul quando foi eliminado pela Holanda, 2 x 1.

O seu último gol tinha sido no dia 7 de junho no último jogo-treino antes da Copa contra a fragílissima Tanzânia quando o Brasil venceu por 5 x 0.

Kaká teve boa movimentação, mostrou que está bem fisicamente, tecnicamente não iria esquecer mesmo e depois de tudo que passou considera este um momento de recomeço.

Kaká é gente boa e humilde apesar de tudo o que já conquistou como jogador de futebol

Voltou à Seleção dizendo que a camisa 10 agora era de Oscar e foi com ela que o menino jogou hoje contra o Iraque.

Kaká vestiu a 8 e se deu bem.

Neymar solidário

Outro destaque a meu ver no time brasileiro foi a produção de Neymar que fez um bonito gol, mas mais do que isto foi participativo o jogo todo.

Não individualizou muito as jogadas e participou praticamente de todos os gols e de todos os ataques brasileiros.

Sem contar com um centro-avante de ofício, Neymar se meteu pelo meio da área em vários lances e talvez por falta de costume e entrosamento acabou atrapalhando o volante Paulinho em duas jogadas.

Aliás, Mano Menezes aproveitou bem a jogada aérea que rende tanto para o Corinthians com Paulinho e por pouco o volante, que colocou uma bola no travessão no primeiro tempo, também não deixou sua marca.

Isso não quer dizer que o Brasil foi maravilhoso. Fez seis gols também pela fragilidade do adversário, mas pelo menos fez a sua parte no jogo. É isso que se espera.

A lamentar a falta de público nos jogos da Seleção que cai dia a dia.

Hoje num estádio acanhado para apenas 24 mil pessoas somente 14.147 compareceram para ver a outrora poderosa equipe brasileira.

É uma pena. Estão apequenando a Seleção e terça-feira em Wroclav contra o fraco Japão também deverá ser a mesma coisa.

Vai melhorar dia 14 de novembro quando enfrentar a Colômbia, em New Jersey, nos Estados Unidos.

Os colombianos são bem melhores que iraquianos e japoneses e disputam neste momento a liderança das Eliminatórias da América do Sul com a forte Argentina.

Vamos ver como se sairá o Brasil contra o time de Falcão Garcia que está deitando e rolando na  Europa e também na Seleção do seu país. Tomara que seja um grande jogo.

  • 4 Comentários

    Adicionar comentário

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *