Imagine dizer para um “astro” que tudo é ilusório…

 

 

Você , certamente, ouviu muito “ele tem o vestiário” ou “ele perdeu o vestiário” .
São opiniões ou informações sobre um treinador.
Sabemos que o futebol mostrado em campo tem grande força para a sequencia do trabalho do técnico. Mas, não só isso.
No “vestiário” , sem a bola , o trabalho do treinador não é dos mais simples.
Para observadores mais atentos “é mais dificil do que fazer o time jogar bom futebol” .
Tite – até agora – tem conseguido manter sob controle o riquissimo vestiário da seleção brasileira.
Claro, o nosso olhar é de quem está distante.
Mas, não há sintomas de alguem sofrendo da “Sindrome do Estrelismo” .
Em qualquer grupo há integrantes com maior ou menor talento.
No conjunto, todos são importantes.
A receita para o sucesso é que nenhum pense ser “astro-rei” numa constelação de vaga-lumes.
Equipe vencedora é aquela que busca cooperação mútua, a troca constante e a certeza de que não existe estrela isolada.
A missão de Tite não é só fazer o time jogar o melhor futebol possível.
A mensagem dele é “precisamos deixar que os outros brilhem. É bom pra todos” .
Parece simples, mas não é .
Longe disso. Está aumentando o número de fios de cabelos brancos do professor Tite.
Conscientizar que “estrela” não tem luz própria requer um grande esforço.
Aliás, essa missão está na cartilha de todos os treinadores do mundo.
Imagine dizer para um “astro”  que tudo é ilusório…

 

Comentários

comments