Pular para o conteúdo

Do Bragantino ao Corinthians: técnico revela como ajudou a ‘moldar’ campeões mundiais de 2012

Do Bragantino ao Corinthians: técnico revela como ajudou a ‘moldar’ campeões mundiais de 2012

Felipe, Paulinho, Romarinho e Rodriguinho. Todos eles têm alguns pontos em comum: surgiram no Bragantino, viraram ídolos no Corinthians e passaram pelas mãos do técnico Marcelo Veiga – os três primeiros, por sinal, foram campeões mundiais pelo Timão.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Veiga lembrou passagens curiosas envolvendo os quatro jogadores e falou sobre a evolução de cada um na época em que defenderam o time de Bragança Paulista.

Paulinho, por exemplo, teve participação direta no gol de Guerrero que garantiu o título mundial de 2012. Marcelo Veiga destaca que o volante sempre teve uma consciência tática diferenciada:

“Peguei o Paulinho no Pão de Açúcar, na quarta divisão. Ele ficou apenas oito meses no Bragantino e foi vice-artilheiro do Campeonato Paulista. Em um time pequeno, jogando como segundo volante, acabou chamando a atenção e se transferindo para o Corinthians. Quando ele chegou aqui, a parte tática era impressionante. Ele já tinha essa natureza de ser um cara obediente taticamente”, explica Veiga.

Outro jogador que passou pelas mãos do treinador foi Romarinho. Em uma quinta-feira, Marcelo Veiga ficou sabendo que ele havia sido vendido. No domingo ele já estava marcando gol pelo novo clube e contra o maior rival:

“A gente estava concentrado para enfrentar o São Caetano, chegamos no estádio, eu já tinha feito a palestra, aí o presidente comunicou que o Romarinho havia sido vendido. Me perguntaram se eu achava melhor ele jogar. Eu não deixei ele pegar o São Caetano. O Romarinho então se apresentou, no domingo (três dias depois) marcou gol contra o Palmeiras e na quarta entrou contra o Boca na Libertadores e também fez gol decisivo”, conta o treinador.

Assim como Paulinho, o zagueiro Felipe foi garimpado por Marcelo Veiga quando estava jogando no União Mogi, na quarta divisão do futebol paulista:

“O Felipe eu peguei aqui na quarta divisão. Na competição que utilizei o Felipe, eu jogava com três zagueiros. Ele é um jogador muito rápido, e por cima muito bom. Quando ele teve a oportunidade de ir para o Corinthians, eu falei que a evolução dele em um time grande seria muito maior. Lógico que no começo tem um período de adaptação. Ele até teve um pouco de crítica no começo, mas depois ele engrenou. O Tite acabou levando o Felipe e hoje, com certeza, é um dos principais jogadores da Europa”, comenta Veiga.

Apesar de ter chegado depois da conquista do Mundial de Clubes, Rodriguinho é mais um atleta que foi treinado por Marcelo Veiga antes de fazer sucesso no Corinthians. Segundo o treinador, a inteligência do meia sempre foi diferenciada:

“Ele tinha sido afastado do ABC de Natal e estava jogando futebol de salão. Acabei trazendo ele para cá (Bragantino). O Rodriguinho é inteligente, ele tem uma visão de jogo impressionante, a qualidade técnica dele é muito boa, aproveita muito bem os espaços, sabe o momento certo de entrar na área”, conta o treinador.

Escute no player abaixo a entrevista completa com Marcelo Veiga:


Me siga no Twitter: @ranieri_andre

Me siga no Instagram: @ranieri_andre

Escute minhas matérias no SoundCloud clicando AQUI ou no CastBox clicando AQUI

Leia Também: Por trás de Sidão, há um ser humano. A história de Sidney Aparecido Ramos da Silva