Pular para o conteúdo

‘Vídeo Show’ chegou ao fim por causa do medo da Globo expor seus artistas

Reprodução
‘Vídeo Show’ chegou ao fim por causa do medo da Globo expor seus artistas
Sophia Abrahão e Joaquim Lopes, apresentadores do “Vídeo Show”

Um dos programas mais antigos na programação da Globo, o “Vídeo Show” sairá do ar. Exibido pela emissora desde 1983, o vespertino sempre serviu como uma ferramenta de divulgação das atrações e dos artistas da casa, mas, nos últimos anos, enfrentava uma crise de audiência da qual nunca se recuperou completamente. O anúncio feito pela Globo não deixa claro se há alguma possibilidade de retorno da produção, afirma apenas que ela será substituída pela “Sessão da Tarde”, que irá ao ar mais cedo.

O projeto, que já teve à frente nomes como Malu Mader, Miguel Falabella e André Marques, volta e meia amargava a segunda posição de audiência, normalmente atrás de quadros como “A Hora da Venenosa”, do “Balanço Geral”, que, no último ano, ficou 10 mil minutos na liderança. Nem mesmo em fases populares, como a encabeçada por Otaviano Costa e Mônica Iozzi, o “Vídeo Show” teve folga na disputa pelo ibope.

A que se deve, então, o fim do programa? O avanço da internet e das redes sociais não pode ser descartado como hipótese, uma vez que todo mundo via os bastidores de novelas antes mesmo de eles irem ao ar na TV. A proximidade com os famosos também foi aumentada consideravelmente, o que acabou por diminuir bastante o interesse do espectador em entrevistas em que poucas revelações eram feitas. As cenas antigas podem ser achadas na internet, o que diminuiu o interesse pelos quadros de memória. 

O maior fator talvez tenha sido a negativa da Globo de assumir o jornalismo de celebridades como uma saída. Dona do “Ego”, que não poupava os artistas da casa quando envolvidos em polêmicas, a Globo preferiu colocar um fim ao site a desagradar suas estrelas. Viu a principal vitrine para sua programação chegar ao fim em meio ao crescimento do quadro comandado por Fabiola Reipert e também do “Fofocalizando”, do SBT. O público se mostra disposto a ver o que a Globo não parecia querer mostrar. A vida íntima de seus artistas seguiu fora da tela. E esse conflito ético derrubou os números do “Vídeo Show”. Uma pena.