Pular para o conteúdo

Escutei muitas vezes que brasileiros deveriam aprender com argentinos. “Eles sabem torcer e fazer um lindo espetáculo no estádio”. Aham, eu e o mundo vimos as belas imagens…

Escutei muitas vezes que brasileiros deveriam aprender com argentinos. “Eles sabem torcer e fazer um lindo espetáculo no estádio”. Aham, eu e o mundo vimos as belas imagens…

Era pra ser algo histórico. E será. Já está marcado. Mas pelas barbáries, violência, cenas vistas em todo mundo e a criminalidade que sujaram a competição. As cenas que rodaram o mundo com torcedores do River Plate jogando pedras no ônibus do Boca Juniors, derrubando grades, enfrentando policiais num campo de guerra. Fiquei envergonhado como amante do futebol. Isso empobrece o futebol, deixa a América do Sul toda ainda mais com cara de terceiro mundo pelo comportamento de alguns vândalos. Claro que pode ocorrer em Champions e outras competições. Já vimos em Zurique (SUI), na França, Londres, etc. Mas lá existe punição. Fez e foi pego, um abraço, vai pagar pelos seus atos.

A Conmebol vem apequenando a Libertadores, objeto de desejo da maioria dos clubes e torcedores que a disputam. O descrédito da competição só aumenta. Esse ano uma lambança atrás da outra. A eliminação do Santos é difícil de aceitar. Escalou um jogador irregular, foi penalizado com um 3×0 e ficou fora. Não puniu o River. Gallardo estava suspenso e foi ao vestiário no intervalo do jogo contra o Grêmio falar com os jogadores. Pra alguns não pode nada. Pra outros “a gente dá um jeitinho”. A Conmebol sonhou com essa final no último ano nesse molde de disputa. Até escreví isso no Blog várias vezes. Só voltar no tempo. Depois das oitavas, era nítido o desejo de ver Boca x River. Então apaguem esse incêncio agora Conmebol, Afa e Autoridades Argentinas.

Se eu mandasse alguma coisa (pena que não mando) levaria a decisão pra bem longe. Nem escutaria aqueles que acham que A ou B seriam beneficiados ou prejudicados com uma decisão. Teria que ser algo exemplar. E nada de achar que é perder a queda de braço pros baderneiros. Duvido que algum deles vai se sentir vitorioso. Levaria a final pro Maracanã, pra Arena das Dunas, pra Santiago, pros EUA, portões abertos para crianças de escolas estaduais, creches, aposentados, pensaria em algo assim.

A repercussão internacional é péssima. O espanhol “Marca”, chamou a final de “vergonha”, os bárbaros escolheram mostrar o lado sombrio de um grande país. O “L’Équipe”, da França, falou com negação da atitude dos argentinos a respeito da decisão. E o italiano “Corriere Dello Sport” falou sobre a figura negativa que se transforma a Argentina para o mundo após a decisão não ocorrer.

O Ministério Público (MP) de Buenos Aires mandou deter a torcedora do River Plate que foi flagrada prendendo sinalizadores em uma criança antes da partida. Essa cena que não me sai da cabeça. Prender sinalizadores com fita adesiva numa criança. Até onde vai a cabeça do ser humano? Uma mulher!!! não que se fosse um homem estaria perdoado. Mas é uma mulher, sentimento de mãe, tudo isso. Autoridades já a encontraram e a criança ficará livre dessa desmiolada. De acordo com a lei local, a pessoa que colocar em risco a vida de um menor de idade, pode pegar de dois a seis anos de prisão. Além disso, se o menor for filho da autora, a pena pode ser aumentada em até um terço do previsto na lei.

E nunca mais quero escutar da cambada de puxa- saco de argentinos que eles sim sabem fazer um grande espetáculo e torcer. Aqui o brasileiro precisa aprender com eles. Aham, eu ví.

Me sigam no Twitter  @spimpolojp  e Instagram  @marcio.spimpolo  ,