Pular para o conteúdo

Sampaoli chega pra tentar mudar retrospecto ruim de estrangeiros. Acho o momento impróprio, eu não traria.

Sampaoli chega pra tentar mudar retrospecto ruim de estrangeiros. Acho o momento impróprio, eu não traria.

Sampaoli chegou, foi bem recebido pelo torcedor santista. Torço pra que dê certo pelo carinho que tenho pelo Santos, pela cidade e pela torcida. Mas minha opinião é conhecida. Eu não o traria. Acho que não seja o momento ideal. Presidente Peres se intromete demais no trabalho dos treinadores, é só ver o que Cuca sofreu. Sampaoli terá reforços? Tempo pra trabalhar? Um estrangeiro precisa de, pelo menos, 18 meses pra colocar a sua filosofia no novo ambiente. Acho que não terá nada disso. E vou além. Poucos conhecem HOJE os jogadores daqui. Conhecem Neymar, P.Coutinho, Douglas Costa, etc. O argentino nunca ouviu falar em grande parte do elenco do Santos. Vou dar um exemplo aqui. Eu era setorista do São Paulo na oportunidade. Bauza chegou e colocou pra disputarem posição Ganso e Rogério, o Neymar do Nordeste. E a justificativa me causou choque: os dois jogavam na mesma faixa de campo, eram opções de meio campo e davam velocidade ao time. Jesus Cristo!!!!!! Bauza, óbvio, não conhecia nenhum dos dois!!!!!!! Minha preocupação com Santos / Sampaoli é essa. Que eu erre e o Peixe seja feliz e vencer com o argentino.

Alguns exemplos e números de estrangeiros que nos últimos anos trabalharam por aqui. Alguns fizeram bons trabalhos. Outros, não. Tire suas próprias conclusões:

O uruguaio Diego Aguirre, demitido do São Paulo, fez a melhor campanha do primeiro turno no Brasileirão. Ele também comandou Internacional e Atlético-MG. Internacional, em 2015, e do Atlético-MG em 2016. No Beira-Rio, conquistou o Campeonato Gaúcho, mas deixou o clube em agosto, após a eliminação do Inter na semifinal da Libertadores. No Galo, ficou cinco meses e levou o título do torneio Flórida Cup, nos EUA. Na Libertadores, foi eliminado pelo São Paulo.

O colombiano Reinaldo Rueda chegou com moral ao Flamengo em agosto de 2017. Liderou em 31 jogos, foi vice-campeão da Copa do Brasil e da Sul-Americana, mas deixou o cargo porque recebeu proposta para treinar a seleção do Chile.

Em 2016, Edgardo Bauza assumiu o São Paulo com dois títulos da Libertadores na bagagem com a LDU (EQU) e San Lorenzo (ARG). No Tricolor, alcançou a semifinal do torneio, mas o jeito do time jogar nunca agradou. Com aproveitamento de 46,52%, venceu 18 jogos, empatou 13 e perdeu 17 vezes.

O Cruzeiro experimentou o português Paulo Bento, passagem rápida de apenas 75 dias, sendo demitido com a Raposa na penúltima colocação do Campeonato Brasileiro. Em 17 jogos, conseguiu seis vitórias, três empates e oito derrotas.

O colombiano Juan Carlos Osorio chegou ao SP em maio de 2015, destacou-se por seus métodos, como as instruções em bilhetes aos atletas durantes os jogos, o rodízio de jogadores. Time, em clássico, tomou algumas goleadas de rivais. Osório pediu demissão do clube paulista para dirigir a seleção do México.

Ricardo Gareca chegou ao Palmeiras em maio de 2014, conquistou apenas quatro pontos de 27 possíveis no Brasileirão, dirigiu a equipe em 13 jogos, com aproveitamento baixo de 38,46 %.

O espanhol Miguel Ángel Portugal foi contratado pelo Atlético-PR no início de 2014, só conquistou cinco pontos. Na breve passagem, Portugal dirigiu o time em 13 jogos oficiais, com cinco vitórias, dois empates e seis derrotas, o que representa aproveitamento de 43,58%.

O Internacional fechou a contratação do uruguaio Jorge Fossati em 2010. Chegou a classificar o Internacional para as semifinais da Copa Libertadores. No entanto, após perder o título gaúcho para o Grêmio, Fossati não resistiu e deixando o cargo.

Então, pra gente fechar. Que dê certo o acerto e que Sampaoli seja feliz no Santos e conquiste títulos. Mas se eu fosse dirigente no clube, não faria essa contratação. Não é o momento correto na minha humilde opinião.