Pular para o conteúdo

Não aprovo algumas atitudes do Neymar , mas permitir a pancadaria é o fim da picada.

Não aprovo algumas atitudes do Neymar , mas permitir a pancadaria é o fim da picada.

Nunca escondí que não gosto de chapéu com jogo parado. De humilhação com o adversário quando o jogo está 4 X 0, etc . Mas sou contra a violência, a intimidação ao talento, ao bom jogador, ao craque. Pelo contrário, temos que proteger esses raros talentos. O futebol já anda tão feio que se defendermos a botinada no lugar do drible acabaremos com o esporte mesmo.

Neymar carrega esse peso do “cai-cai” na Copa e parece que alí foi liberada a pancadaria. Não aprovo muita coisa que o brasileiro faz. Acho que ele precisa melhorar em muitos aspectos, dentro e fora de campo, um capitão da seleção tem que ser exemplo em todos os sentidos. Mas discordar de algumas atitudes não me permitem ver Neymar apanhar assim. A arbitragem não pode permitir isso no campo. Repito, se proibirmos o drible vamos acabar com o futebol.

Na última quarta-feira foi vergonhoso. O PSG venceu o Strasbourg por 2 a 0 pela Copa da França, e o craque brasileiro deixou o gramado com uma lesão no pé direito. Porém, antes disso, o camisa 10 deu um chute no vácuo, estilo Valdivia, revoltando o rival Anthony Gonçalves, que atacou o craque. Teve chapéu de carretilha, teve muito drible bonito e o atacante tentando tirar o equilíbrio emocional do outro lado. A resposta veio com pancadas e pancadas.

Gonçalves disse que sabe como é o estilo do brasileiro, mas que não reclame se apanhar. “Não estamos aqui para que ele se divirta conosco. Não somos seus fantoches. Quer se divertir? Bom, respondemos com nossas armas. Não seremos enganados”, disse o jogador.

O técnico da seleção brasileira, Tite, vai visitar Neymar Jr. O treinador disse estar preocupado humanamente com o atacante. A Copa América vem aí e sem Neymar Tite teria sérios problemas.

A gente continua por aqui pessoal. Opinem sempre, por favor. Meu twitter é @spimpolo e Instagram @marcio.spimpolo