Pular para o conteúdo

Falta de preocupação com o jogo

Pensar em melhorar e evoluir é fundamental para qualquer produto. O futebol é um produto de entretenimento e precisa gerar interesse nas pessoas, o público que se interessa pelo futebol tem que ser convencido a trocar qualquer outra opção de lazer pelo futebol nos seus momentos livres, esse deveria ser o objetivo de quem organiza e teoricamente vende o produto futebol.

Pensar no futebol como um produto a ser vendido ainda é algo ainda muito distante da nossa realidade. Apostamos apenas no fanático que vai assistir e acompanhar seu time independente de qualquer coisa. O fanático não se importa com chuva, com sol, com jogo bom ou ruim e nem com as condições ruins de acesso ao torcedor, ele segue o time e pronto, mas esse tipo de torcedor é exceção.

No Brasil quando alguém coloca em debate a melhora da qualidade de jogo, as pessoas automaticamente ligam ao resultado e ao time campeão. Quando se questiona a qualidade do futebol praticado no Brasil é pensando no todo e não uma forma de menosprezar o time campeão, no caso de 2018, o Palmeiras.

Falta o entendimento de pensar no todo. Um campeonato melhor é mais interessante inclusive para o campeão, aqui o pensamento é muito individual, a maioria das pessoas não se importa que o jogo seja ruim, desde que seu time ganhe, mas o jogo ruim desvaloriza todo o produto , inclusive o time vencedor, afinal ele está inserido dentro deste produto.

Tenho certeza que podemos oferecer um espetáculo muito melhor no Brasil. Não podemos nos conformar com a mediocridade e com as desculpas de dirigentes que colocam a culpa na falta de dinheiro e nas desvalorização da moeda brasileira, eles precisam ser cobrados. Dois fatores que já melhorariam consideravelmente o jogo por aqui estão nas mãos dos dirigentes, aposta em projetos e modelos de jogo e a melhora do calendário.