Pular para o conteúdo

Futebol brasileiro nos pontos corridos

Tradicionalmente a maioria dos analistas e torcedores consideram que temos doze grandes clubes no Brasil. Não vou discutir os fatores históricos em relação aos times, mas faz tempo que o número de candidatos ao título brasileiro é muito menor do que doze.

Dois fatores afetam diretamente na formação de uma elite. A perda da importância e da relevância do título estadual e a implementação do campeonato por pontos corridos. Foram 16 campeonatos neste formato, Corinthians, São Paulo e Cruzeiro são os maiores vencedores deste período com três conquistas, Fluminense e Palmeiras ganharam duas vezes e depois aparecem Santos e Flamengo com uma conquista cada um.

Algumas observações são válidas, o Fluminense ganhou dois campeonatos quando tinha um patrocinador forte e consequentemente um poder de investimento maior, neste momento o time carioca passa longe da disputa pelo título nacional, não está nesta elite. Grêmio e Internacional não ganharam o Campeonato Brasileiro neste formato, mas quase sempre estão entre os primeiros e neste período, o Grêmio conquistou Copa do Brasil e Libertadores e o Internacional levou duas Libertadores. Os gaúchos estão no grupo de elite.

O estado de São Paulo conquistou as últimas quatro edições do Brasileiro, títulos divididos igualmente entre Corinthians e Palmeiras. O São Paulo não ganha desde 2008, parece distante de uma nova conquista por pontos corridos, mas ainda mantém relevância pela torcida que leva ao estádio e um bom poder de investimento, em 2018 foi um dos times que mais gastou, mas precisa se organizar. O Santos tem feito campanhas melhores do que a combinação dinheiro e público presente indica, mas pelo fato de revelar e dar oportunidade aos jovens atletas, o time consegue formar boas equipes, mas nem sempre a base vai salvar. Em relação aos outros times paulistas, só a Ponte Preta consegue frequentar a elite constantemente.

No Rio de Janeiro, o Flamengo parece ser o único em condições de lutar pelo título nacional nos próximos anos. Vasco, Botafogo e Fluminense têm jogado mais preocupados com as últimas do que com as primeiras posições da competição.

No futebol mineiro, o Cruzeiro é um time que mantém uma regularidade de conquistas impressionante tanto no campeonato como nas copas. O Atlético ganhou recentemente Libertadores e Copa do Brasil e dois vices brasileiros, mas parece não ter hoje o mesmo poder de investimento de anos atrás.

Vale destacar o Atlético-PR, parece difícil que lute por um título nos pontos corridos, mas faz boas campanhas com frequência e tem uma estrutura de estádio e CT melhor que muitos dos chamados doze grandes.

O Nordeste é uma região com grandes torcidas, mas no atual momento os times da região variam entre séries A e B. Bahia e Pernambuco quase sempre estão representados na elite. Com Santa Cruz e Náutico na série C, o futebol pernambucano deve sofrer um pouco mais. O ano de 2018 foi positivo para o futebol cearense que terá 2 representantes na elite em 2019. Com o acesso do CSA, Alagoas pela primeira vez terá um representante na primeira divisão em 2019.

Outra curiosidade é que Santa Catarina sempre teve representante na elite nos pontos corridos . Já o estado de Goiás ficou fora pela primeira vez em 2018 e retorna em 2019.