Pular para o conteúdo

A mudança na avaliação sobre Tite

Tite assumiu a seleção brasileira em sexto lugar nas Eliminatórias e logo depois de uma eliminação na fase de grupos na Copa América Centenário, perdendo a vaga para Peru e Equador.

A seleção já vinha de alguns resultados ruins, foram duas eliminações para o Paraguai nas Copas América de 2011 e 2015, nas últimas três edições da competição continental foram 11 jogos com apenas 4 vitórias. Aconteceu o 7×1 na Copa de 2014 em casa, o único momento de algum brilho, desde 2010, foi na Copa das Confederações de 2013.

Tite melhorou muito a seleção. O time venceu 8 jogos consecutivos com boas atuações e garantiu vaga antecipada na Copa do Mundo da Rússia. Tite foi tratado como um técnico especial, era elogiado por tudo, até pelo que não fazia. Alguns inclusive deram o mérito da conquista da medalha de ouro olímpica ao técnico da seleção principal, não para Rogério Micale, que foi quem comandou a equipe.

O Brasil chegou na Rússia como um dos favoritos e perdeu para a Bélgica em um jogo absolutamente normal, contra um time do mesmo nível. A seleção inclusive melhorou no segundo tempo, pressionou os belgas e teve chances claras para empatar o jogo. Os detalhes definiram um duelo entre times equivalentes.

Depois da Copa, o Brasil fez seis amistosos. Venceu todos e não sofreu gols, as atuações de fato não foram boas, mas também não foram péssimas, tudo dentro do normal, mas Tite tem sido excessivamente criticado. A seleção está tentando formar uma nova equipe, duas alterações mudaram bastante as características do time. Saíram Paulinho e Gabriel Jesus e entraram Arthur e Firmino, foram trocados dois jogadores agudos e agressivos por dois articuladores.

O Brasil ganhou em posse de bola e controle de jogo, mas perdeu em agressividade e infiltração. Tite busca retomar esse equilíbrio e procura alternativas, os amistosos servem exatamente pra isso, mas a cobrança é imensa.

Neste ano, o Brasil disputará a Copa América em casa. Muitos pedem renovação pensando na Copa do Mundo de 2022, mas estes mesmos cobrarão resultado e pedirão a cabeça de Tite em caso de derrota na competição. Tite sabe disso e por isso mantém uma base que trabalhou na Rússia e aos poucos vai encaixando jovens como Arthur, Richarlison e Paquetá.

O que mudou no trabalho de Tite? De exageradamente elogiado virou um técnico excessivamente criticado. A explicação é simples, é o de sempre no futebol brasileiro, o resultado.