Pular para o conteúdo

Você, brasileiro, aceita esse crescimento pífio do PIB?

Você, brasileiro, aceita esse crescimento pífio do PIB?

Estou profundamente incomodado com a letargia, com a anestesia do empresariado brasileiro e com as elites pensantes do país aceitando um crescimento pífio, ou negativo per capita.

Aceitamos menos de 1% nos últimos 10 anos, em média, e estamos aceitando uma previsão pífia de 2% para os próximos anos de crescimento do PIB.

O que agita e leva a humanidade ao longo de milênios é o poder dos incômodos. Quando incomodados, nos mexemos, nos cutucamos e mudamos, mesmo aos trancos e barrancos.

Estamos como na peça de teatro Esperando Godot, de Samuel Beckett; dois personagens passam a toda a trama perante problemas, mas estão esperando alguém chamado Godot, que nunca veio, para os salvar.

Estamos esperando a Reforma da Previdência. Ela é essencial para as contas do governo. Mas, e o outro país? O que faz a riqueza?

Vamos ao agronegócio. Estamos diante de uma catástrofe chinesa, dizimando seu rebanho de suínos, o maior do mundo. Isso traz uma revolução nos negócios da carne no planeta e na demanda, e ao mesmo tempo, abala as aquisições da soja.

O Brasil precisa imediatamente assumir o modelo de integração Lavoura, Pecuária e Floresta para ampliar e multiplicar nosso agronegócio e também aumentar sua segurança.

Necessitamos de uma orquestração de cadeias produtivas com revisão da engenharia tributária, e emergência logística, com custos competitivos globalmente.

Poderíamos criar empregos na indústria do antes da porteira, estimulando a fabricação dos ativos usados nos defensivos dentro do Brasil, e não os importando.

Poderíamos ampliar empregos e crescimento num plano de fertilizantes, diminuindo nossa dependência do exterior, ou minimamente mitigando o desperdício com navios parados pagando demurrage nos portos.

Poderíamos ativar de forma espetacular o agronegócio brasileiro de frutas, hortaliças e flores para o mundo. Na indústria de alimentos e bebidas, que é a maior indústria do Brasil e que fatura 656 bilhões de reais, sem dúvida podemos ter um projeto para objetivar 1 trilhão de reais em 4 anos. Por quê não?

O incômodo é gigantesco. Estamos hipnotizados aceitando um crescimento inadequado, e metidos numa discussão morta de esquerda x direita e do ex-presidente Lula, dizendo que estamos governados por malucos, e o presidente Bolsonaro dizendo que prefere os malucos aos cachaceiros.

Hora do novo agronegócio: precisamos dobrar o agro de tamanho ou o Brasil vai ficar do mesmo tamanho. Ao trabalho.

%d blogueiros gostam disto: