E agora, quem será o novo Ministro da Agricultura?

Ontem conversei com Francisco Turra, que já foi nosso Ministro da Agricultura e hoje preside a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Imagem: Édi Pereira

O Ministro Turra me relembrou que ficamos falando de 230 milhões de toneladas de grãos, quando no Brasil produzimos mais de 1 bilhão de toneladas de alimentos e derivados do campo quando reunimos tudo o que é produzido.

 

De fato, Ministro Turra, um erro imperdoável de marketing para mostrar a dimensão do Brasil.

 

O Ministro Turra é uma pessoa a qual faço questão publicamente de declarar ser admirável. Gosto do caráter, da integridade, do trabalho e da visão estratégica dele.

 

Turra me contava do momento no seu Ministério em que lançou o Moderfrota, um plano de apoio à renovação da frota de tratores, colheitadeiras e máquinas agrícolas de imenso sucesso, tanto para reerguer a indústria, quanto para aparelhar os produtores com modernas tecnologias.

 

E nunca se esquecendo de que tudo o que é colocado na terra, na planta e na pecuária, passa pela mecanização.

 

Agora, o Ministro Turra teve outra ótima ideia a qual já estará levando ao novo governo em formação. Ele a batizou de “Modermaquina”, uma versão para a agroindústria e as cooperativas.

 

Um incentivo para a modernização das máquinas processadoras de alimentos, bebidas e dos derivados do campo.

 

Precisamos agregar valor, e para isso o ponto nevrálgico está na agroindustrialização.

 

Gera renda, empregos, acesso a mercados, gera maior demanda para os produtores rurais e cria empreendedorismo, inclusive nas cooperativas por poderem transformar as matérias-primas em marcas e produtos que irão atender muito mais consumidores.

 

O “Modermaquinas” de agroindustrialização é uma ótima ideia. Significa a multiplicação dos pães. E afirma Francisco Turra, que criou Moderfrota no seu Ministério, que tudo isso será feito com respaldo do BNDES, com longo prazo e juros acessíveis.

 

Precisamos de ousadia, empreendedorismo, criatividade e, como tenho dito, chega de discussões de esquerda ou de direita. Vamos partir pra cima, como dizemos aqui na Jovem Pan.

 

Que o novo governo tenha a inteligência e humildade de captar o que de melhor nossos sábios no agro têm a oferecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *