O Brasil precisa de uma liderança para a resiliência

Dentro dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), resiliência está definida como: “a capacidade inerente de um sistema enfrentar qualquer comoção externa sem importar o quanto é previsível ou surpreendente“.

No âmbito dos Poderes nacionais, do Executivo, Legislativo e do Judiciário, temos um sólido aprendizado para iniciarmos uma preparação da Sociedade Civil Organizada no sentido de estarmos muito melhor preparados para enfrentar suas adversidades no futuro.

Fonte: http://onu.org.br/

A fragilidade do Estado não é apenas reflexo de instituições fracas, mas também de sistemas sociais sob pressão. Um Estado resiliente está ancorado em uma sociedade coesa (ONUPNUDODS).

 

Necessitamos de uma liderança para a resiliência no Brasil, ativa, efetiva, franca e justa. Ninguém governará mais o Brasil sem organizar a Sociedade Civil.

 

Existe a democracia e o poder do voto, mas apenas isso não construirá um Estado brasileiro resiliente. Precisamos de liderança para a resiliência nas instituições estruturadas da sociedade Civil Organizada.

 

A governança do país não será resiliente, sem a liderança dos setores empreendedores, produtivos, cooperativos e do encorajamento da nação para a superação, e sua libertação da síndrome de vitimização do povo brasileiro.

Responsabilidade e resiliência, o foco da liderança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *