Escolher produtos capilares nas prateleiras das perfumarias ou o procedimento ideal no salão de beleza já é difícil e fica ainda mais com tantas palavras e expressões diferentes, que parecem inclusive ter saído de alguma outra língua – e em alguns casos saíram mesmo. Para facilitar a sua rotina capilar, tenha sempre em mãos o dicionário do cabelo a seguir e saiba para o que servem e o que são todos esses termos que fazem a sua cabeça:

A

ÁGUA TERMAL: a água termal é rica em minerais, como o zinco, e ajuda a repor o que é perdido pelo fio. Além de ajudar na hidratação do cabelo, também mantém a saúde do couro cabeludo e dá um frescor no verão.

ANÁLISE CAPILAR: como o nome diz, é uma análise das necessidades de cada cabelo e couro cabeludo. O procedimento é feito por cabeleireiros profissionais, que vão analizar desde a porosidade do seu fio até a oleosidade do seu couro cabeludo, para indicar os melhores produtos e tratamentos.

B

BIG CHOP: é uma técnica de corte radical, para retirar a parte do cabelo que ainda tem química e deixar somente a natural. É muito usada por mulheres de cabelos crespos ou cacheados durante a transição capilar (veja o significado abaixo).

BAD HAIR DAY: como diz a tradução literal, “dia de cabelo ruim”. É um termo roubado da gringa para definir aquele dia em que você acorda e seu cabelo parece que quer continuar na cama, ou seja, rebelde, sem formato e difícil de ficar como você gosta.

BOTOX: é um tratamento sem química, que repõe a massa perdida dos fios e sela as cutículas. Esse preenchimento do cabelo resulta na redução do frizz e do volume, sem perder a ondulação natural do fio.

C

CO-WASH: é uma técnica de lavagem que usa somente o condicionador e dispensa o shampoo (que por conter sulfato pode ser muito agressivo e ressecar os fios). A técnica é recomendada para quem lava o cabelo todo dia ou para quem faz Low poo ou No Poo. O ideal é que o condicionador não tenha petrolatos, sulfatos, parafinas nem silicones insolúveis.

CONDICIONADOR SECO: é quase um spray de brilho, cuja função é dar mais maciez e luminosidade e abaixar o frizz dos fios. Por contar com óleos essenciais também ajuda a criar uma camada de proteção no cabelo, que evita a desidratação do fio. Deve ser usado sempre com os fios secos e não é um tratamento, serve mais como uma maquiagem pro cabelo.

CRONOGRAMA CAPILAR: nada mais é que uma rotina de cuidados com o cabelo, que consiste em intercalar etapas de hidratação, nutrição e reconstrução, para repor todos os nutrientes perdidos pelo fio. A frequência deve ser adaptada a cada fio e para facilitar a organização, pode ser montado um cronograma com os dias da aplicação de cada etapa.

Foto: Element5 Digital | Unsplash

D

DRY SHAMPOO: ou shampoo seco, na tradução, é praticamente um talco na versão em spray. Essas partículas conseguem absorver a oleosidade do couro cabeludo e da raiz dos fios, fazendo com que o cabelo pareça mais limpo. Atenção! Embora pareça limpar os fios, ele só disfarça, sendo assim a lavagem ainda é necessária, principalmente porque se usado com muita frequência sem lavagem adequada o dry shampoo pode obstruir os poros do couro cabeludo e causar até queda de cabelo. Você pode inclusive reforçar a lavagem com um esfoliante capilar.

E

ESFOLIANTE CAPILAR: assim como o esfoliante corporal, esse produto contém partículas que retiram a pele morta e aceleram o processo de renovação celular do couro cabeludo. Além disso, ainda fazem uma lavagem profunda da raiz dos fios, por isso não devem ser usados mais de 1 vez na semana. O ideal é a cada 15 dias, acompanhado de uma boa hidratação em seguida.

F

FITAGEM: é um processo de texturização de fios cacheados ou crespos, com o objetivo de dar mais definição aos cachos, reduzir o frizz e controlar o volume. Consiste em dividir o cabelo em mechas, dividir cada mecha em partes menores – ou fitas – passar o creme de pentear e amassar até formar o cacho.

FRIZZ: frizz é o nome daqueles cabelos rebeldes que criam uma nuvem em volta da cabeça. São fios que não se alinham com os demais, por terem textura diferente ou irregular. As causas do frizz podem ser genéticas, mas também acontece por danos nos fios ou umidade.

Foto: Avi Richards | Unsplash

G

GELATINA CAPILAR: é um produto de finalização, bastante usado pelas cacheadas e crespas para dar mais definição aos cachos e controlar o frizz. Apesar de ter a mesma cor que um gel, tem textura mais espessa e possui uma leve fixação, então deixa o cabelo mais firme e facilita os penteados.

H

HAIRSTYLIST: termo adotado do inglês para se referir a cabeleireiros e profissionais especializados em fios.

I

IRISADO: é um termo normalmente designado a tinturas que contam com um pigmento violeta que neutraliza o amarelado, deixando como resultado uma cor mais fria.

J

JOJOBA: é uma planta cujo óleo ajuda a combater ressecamento do couro cabeludo, diminuir a caspa e criar uma barreira protetora no fio fazendo o cabelo ficar mais hidratado, protegido, macio e com menos frizz.

L

LEAVE-IN: é todo e qualquer produto sem enxágue, que ajuda na finalização e tratamento do fio. Pode ser em creme, líquido ou oleoso e tem para todos os tipos e texturas de fio.

LOW POO / NO POO: são práticas que contam com lavagens com pouco (low) ou nenhum (no) sulfato. O sulfato é um dos responsáveis por produzir a espuma, principalmente nos shampoos, mas que também é uma substância super limpante, portanto pode acabar retirando nutrientes e óleos naturais dos fios na lavagem. A técnica visa a menor agressão possível aos fios, prometendo como resultado um cabelo mais macio e brilhante.

M

MATIZADOR: é o nome dado a produtos que neutralizam a cor dos fios. Ele retira as partículas de cor indesejadas, adquiridas no dia a dia, como poluição e resíduos de outros produtos, deixando a cor dos fios mais pura. Normalmente é muito usado em cabelos loiros, para remover o amarelado.

MICELAR: um produto com tecnologia micelar contém na fórmula micelas, que são moléculas feitas metade de água e metade de óleo. Por essa bipolaridade, são capazes de atrair resíduos, impurezas, poeira e oleosidade para fora do fio, fazendo uma limpeza mais suave e menos agressiva no cabelo e no couro cabeludo.

N

NANOTECNOLOGIA: é a manipulação de matéria em escala de átomos e moléculas. No cabelo essa tecnologia permite que os produtos tenham moléculas tão pequenas, que penetrem melhor no fio e no couro cabeludo, aumentando a eficácia dos tratamentos.

NUTRIÇÃO: é uma etapa do tratamento capilar, cujo objetivo é repor os nutrientes perdidos pelo fio, por conta dos processos diários como secagem, modelagem, ação do sol e da poluição. Normalmente conta com produtos ricos em óleos, para a reposição dos lipídeos, que evitam o ressecamento e envelhecimento da fibra capilar, além de aumentar sua elasticidade para evitar a quebra.

O

ÓLEOS VEGETAIS: são óleos e gorduras extraídos de plantas, que ajudam a repor os nutrientes e formar uma barreira protetora para manter a hidratação nos fios.

OMBRÉ HAIR: é uma técnica de coloração do cabelo, que mantém a raiz na cor natural e faz um sombreamento a partir das orelhas até as pontas dos fios. Pode ser feita em qualquer cor, mas ficou famosa com a mistura de tons naturais com as pontas loiras.

Foto: Autri Taheri | Unsplash

P

PRÉ-SHAMPOO: como o nome diz, é um tratamento antes da lavagem, que pode ser de 2 tipos: 1 para nutrir e proteger os fios, essa deve ser aplicada só no comprimento dos fios; ou 2 para fazer uma limpeza profunda nos fios e no couro cabeludo, promovendo uma pequena esfoliação. Seja qual for a função escolhida, o tratamento deve ser feito no máximo 1 vez a cada 15 dias.

PRIMER CAPILAR: ele tem a mesma função que o primer da maquiagem, ou seja, disfarça as imperfeições e prepara o fio para segurar melhor os produtos finalizadores ou texturizadores. Ele também cria uma película em volta do fio, que reduz o frizz e deixa mais brilhante.

PLEX: é uma tecnologia que funciona junto com as químicas de coloração, protegendo a integridade da fibra capilar enquanto a água oxigenada age para remover a cor. De quebra, também acelera o processo de descoloração, reduzindo os danos no fio, como quebra e ressecamento. 

Q

QUERATINA: a queratina é uma proteína presente no corpo, que é responsável por manter íntegra a estrutura do fio. Com as agressões diárias, como sol e secador, o cabelo acaba perdendo essa queratina, ficando mais poroso e suscetível à quebra e à desidratação. Por isso, a etapa de reconstrução dos tratamentos capilares normalmente contam com queratina, para refazer a estrutura dos fios.

R

RECONSTRUÇÃO: é um tratamento capilar que visa refazer a estrutura dos fios, devolvendo a eles proteínas e aminoácidos perdidos – normalmente contam com a queratina. Eles não devem ser feitos com muita frequência, porque corre o risco dos fios ficarem rígidos.

S

SULFATO: é um detergente que, em contato com a água, espuma e emulsifica substâncias gordurosas, promovendo uma limpeza profunda. É encontrado nas fórmulas dos shampoos e também é responsável por produzir a espuma nesses produtos. Por serem muito limpastes, podem retirar os óleos naturais dos fios, causando ressecamento.

SILICONE: é um composto químico resistentes ao calor, água e agentes oxidantes, além de serem isolantes elétricos. Isso tudo garante que no cabelo ele crie uma capinha protetora, que vai manter a aparência do fio brilhante, com menos pontas duplas e menos estática, ou seja, menos frizz.

T

TRANSIÇÃO CAPILAR: é um processo de retirar completamente a química do cabelo, deixando o natural crescer na sua forma e cor original. A prática é bastante adotada entre as mulheres de cabelos cacheados e crespos, quando resolvem parar de fazer alisamentos e assumem seus fios naturais.

Foto: Erik McLean | Unsplash

U

UMECTAÇÃO: é uma técnica de nutrição dos fios, feita com óleos, que serve para cabelos ressecados, com frizz ou pra quem quer uma dose extra de brilho. Faça o enluvamento, mecha a mecha, passando o óleo em todo o comprimento dos fios e deixe agir por no mínimo 2 horas – há quem faça antes de dormir e só lave os fios pela manhã.

V

VELATERAPIA: é uma técnica de corte para retirar as pontas duplas dos fios, que consiste em torcer mechas de cabelo e passar a chama da vela bem pertinho para queimar as pontas duplas e selar os fios. Famosas como Cleo Pires, Ingrid Guimarães, Isabeli Fontana e Preta Gil admitiram ser grandes adeptas à técnica, que deve ser retocada uma vez a cada 6 meses.

X

XAMPU ROXO: um xampu com pigmentos roxos (ou azulados) é indicado para neutralizar a oxidação que deixa os fios brancos ou platinados amarelados.

Z

ZINCO: é um dos minerais mais importantes para a saúde do nosso corpo e no cabelo especificamente é responsável pela produção do sebo, que é o que garante a proteção do fio. A deficiência de zinco pode levar à queda capilar, ressecamento e enfraquecimento dos fios e surgimento precoce do cabelo branco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ju Romano

Ju Romano, jornalista, blogueira, influenciadora digital e aficcionada por beleza e moda. Defensora da liberdade da mulher ser quem e como ela quiser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *