A vontade de ser mãe, tentativas de gravidez frustradas e até o medo inconsciente da maternidade podem se tornar um pesadelo para algumas mulheres.

Isso é o que dizem especialistas sobre a gravidez psicológica. Sintomas comuns à gestação como barriga aumentada, enjoos, seios doloridos e interrupção do período menstrual também podem ser sentidos por mulheres que, na verdade, sofrem de falsa gestação.

Apesar de não ser comum – acontece com uma em cada 25 mil mulheres gestantes aproximadamente, a Pseudogestação ou Pseudociese, não é algo inventado pela mulher. Produção de hormônios típicos do período, como o estrógeno e a prolactina, fazem com que ela realmente acredite estar grávida.

De acordo com Renato de Oliveira, ginecologista e infertileuta da Criogênesis, uma das maiores causas dessa condição é a vontade de engravidar. Tentativas frustradas de gravidez ou o medo inconsciente de se tornar mãe também são gatilhos. “A Pseudociese, na maioria dos casos, revela uma série de adversidades psicológicas, fruto de traumas do passado e tentativas frustradas de engravidar e constituir uma família”, explica.

A  falsa gravidez só pode ser identificada com exames clínicos. “A simples ausculta com o estetoscópio de Pinard, além da ultrassonografia abdominal ou pélvica, demonstrarão um útero sem feto, que comprova a pseudociese. De forma complementar, realiza-se um exame de sangue que verifica a dosagem do BhCG, hormônio produzido pela placenta durante a gestação”, comenta Renato.

Gravidez psicológica tem tratamento?

O processo de aceitação e tratamento para a gravidez psicológica varia de acordo com cada caso. A família, os amigos e os médicos formam uma equipe integrado na terapêutica nesse caso. “Um trabalho conjunto para diagnosticar as origens do problema e saná-las possibilita que a mulher retome suas atividades normais e busque alternativas para concretizar o desejo de ser mãe”, finaliza o especialista.

 

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas EVA e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *