Carol Teixeira, filósofa, escritora e mestra tântrica ensina a melhorar a qualidade da relação sexual em quatro passos.

1. Olhe nos olhos 

O olhar no tantra é uma das formas mais poderosas de conexão. A sensação de ser olhado nos olhos com profundidade gera uma instabilidade positiva, é como se você fosse descoberto, despido, enxergado em sua essência. Essa espécie de nudez vulnerabiliza, traz para a presença – e dois dos principais ingredientes para um sexo bom ou qualquer troca é justamente a vulnerabilidade e a capacidade de estar presente. Então fique por pelo menos 5 minutos em frente ao parceiro (a) olhando em seus olhos, sentado em uma posição confortável, com a respiração leve e todos os músculos do corpo relaxados. Não crie nenhuma expectativa enquanto faz isso, simplesmente entregue sua vulnerabilidade para o outro como se fosse um presente. É possível que você sinta vontade de chorar por tanta entrega e que seu corpo entre num estado de presença como se você estivesse meditando.

2. Descubra o sexo além da penetração

O tantra não exclui a penetraçaão, mas valoriza muito mais todo o resto. O que se chama no ocidente de ‘preliminar’, na visão do tantra, já sexo. O corpo inteiro é um órgão sexual, a pele é o maior dos órgão sexuais. Para compreender isso no corpo, é interessante fazer algumas experiências excluindo qualquer espécie de penetração. No momento em que você elimina essa espécie de finalidade, você descobre um universo de possibilidades de prazer. Vale tudo: cheirar, lamber, toques sutis, toques mais intensos, mover seu corpo de uma forma que você nunca moveu, dar atenção para áreas que você nunca deu; só não vale penetrar. Você vai descobrir novas sensações, despertar novos sentimentos.

3. O sexo além do orgasmo

Como exercício de compreensão de todas as possibilidades de prazer no corpo, é interessante também experimentar transar algumas vezes sem ter orgasmo. Com essa calma que vem com a ausência da finalidade, você vai se surpreender com a sutileza da conexão que surge.  A criatividade sexual é potencializada, a ansiedade vira quase nula e você sente coisas completamente novas. É uma forma de reeducar seu corpo, fazê-lo sair do automatismo. Depois, em outros momentos, é só agregar todas essas novas possibilidades nas relações sexuais seguintes, mesmo as que envolvam orgasmo.

4. Tempo e sutileza 

Desacelere. Essa talvez seja a dica mais fácil para entrar no estado de tantra. Só esse ato de desacelerar já vai deixar sua mente perdida, fora de sua zona de conforto. Uma das coisas que mais falo em meus cursos é o comando para as pessoas se moverem e conduzirem seus toques ‘devagar, devagar estranho’. Nesse ritmo você tem tempo para sentir, seu corpo entra inexoravelmente num estado de sutileza, se abre.

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas EVA e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *