Pular para o conteúdo

Brasil perde em casa para Bélgica

Brasil perde em casa para Bélgica

A Bélgica manteve a invencibilidade contra o Brasil pela Copa Davis. Os belgas bateram a equipe brasileira neste final de semana em Uberlândia. Na história da competição são quatro vitórias belgas: 1960, 1993, 2016 e 2019.

O confronto deste ano, válido pelo Play-Off do Grupo Mundial, começou na última sexta-feira  com vitória do número 1 do Brasil Thiago Monteiro, número 107 do mundo. O tenista do Ceará bateu o belga Arthur de Greef, número 195 no ranking, 23 de idade, por dois sets a zero, parciais 6/3 e 6/2. Na sequência, o belga Kimmer Coppejans, 195 na ATP, empatou o confronto com vitória em cima de Rogério Dutra Silva, atual 139 do mundo, por duplo 6/4.

No sábado, a dupla brasileira decepcionou. Bruno Soares e Marcelo Melo, tenistas que estão entre os melhores duplistas do mundo perderam para Sander Gille, número 83 de duplas na ATP, e Joran Vligen, número 86 no ranking de duplas, por 6/4 e 7/6 (4).

Neste domingo, Kimmer Coppejans decidiu o confronto com grande vitória em cima de Thiago Monteiro por dois sets zero, parciais de 6/3 e 6/4. O brasileiro reconheceu a superioridade dos visitantes: ” A equipe belga jogou surpreendentemente muito bem, não só a dupla que foi muito sólida, mas também Coppejans manteve um nível muito alto de tênis. Eu acho que ele merecem todo crédito. Foi um dia difícil para nós. Eles não sentiram pressão”

Após a derrota, o técnico João Swetch pediu demissão. O capitão estava há 9 anos no comando da equipe brasileira. “Eu e a CBT já vínhamos conversando sobre esse ciclo e no meu entendimento chegou o momento de fechamento”, avaliou o ex-capitão do Brasil na Davis.

“Gostaria de agradecer a confiança depositada em mim, primeiramente pelo Jorge Lacerda e depois por Rafael Westrupp. Também agradecer a todos os profissionais que estiveram comigo nesse desafio, o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, os médicos Ricardo Diaz e Gilbert Bang, os fisioterapeutas Paulo Roberto Santos e Otávio Kiefer. Agradecer aos atletas que passaram pela equipe brasileira enquanto estive nela. Vivi momentos de muito crescimento com cada um da equipe”, encerrou João.

Comentários

comments