Pular para o conteúdo

A diretoria do São Paulo continua perdida

A diretoria do São Paulo continua perdida

O São Paulo continua firme em sua caminhada desastrosa no futebol brasileiro. Tudo continua a desandar, principalmente com o dedo da diretoria. Que pouco acerta: a eliminação deste ano é uma página de uma história que começou em 2018, com a demissão de Diego Aguirre há cinco rodadas do final do Brasileirão. Raí, jurava na ocasião, que André Jardine seria o técnico para a temporada deste ano, independentemente do que ocorresse.

Sabíamos que os fatos se repetiriam, que caso a eliminação da Libertadores chegasse, como chegou, André Jardine jamais se sustentaria no cargo. Tínhamos noção do tamanho da imcopetência da diretoria do São Paulo: demitir Jardine e contratar Cuca…para daqui há dois meses. Enquanto isso, coloca-se Vagner Mancini como tapa-buraco. Um coordenador de futebol que não quer ser técnico.

Mancini não tem a menor responsabilidade ou culpa: “Ah, mas ele disse que jamais assumiria a equipe”. Não há nenhum problema, ele é funcionário como todos os outros e obedece ordens. Pronto. Ou ele assume ou provavelmente seria demitido.

A bagunça do time é de responsabilidade total da diretoria comandada por Leco. Torcedor do São Paulo quer protestar? Tire Leco. A diretoria do São Paulo não passa de vendedora de ilusões. Nem para sonhos são capazes – os torcedores do São Paulo já não conseguem mais sonhar.