Pular para o conteúdo

Tudo sobre: Hiperemese gravídica

Tudo sobre: Hiperemese gravídica

shutterstock_69626293(2)As náuseas e os vômitos constituem queixas freqüentes das gestantes, afetando 50% a 80% delas.

Em 1 ou 2 em cada 1000 gestantes, entretanto, o vômito assume aspecto incoercível, caracterizando a hiperemese gravídica. A grávida, nessas condições, apresenta vômitos acentuados, desidratação, perda de peso, possíveis danos hepáticos e renais, lesões retinianas e cerebrais.

Os vômitos raramente ultrapassam os primeiros 4 meses de gestação e quando isso ocorre, devem ser pesquisadas infecções, alterações digestivas, pré-eclampsia e outras doenças.

Quais são os fatores que contribuem para a doença?

Hormonais e psicogênicos (de causas psicológicas). Daí a importância do acompanhamento pré-natal e psicológico adequado, com confirmação da gestação por ultra-sonografia, pois muitas vezes pode se tratar de gestação múltipla ou mola hidatiforme.

Como se trata?

Orientação dietética com refeições feitas a cada 2 horas, pouco volumosas, pobres em gorduras e ricas em carboidratos. Bolachas, torradas, frutas e leite quente são recomendados ao despertar, evitando-se a ingestão de líquidos durante as refeições. Medicamentos como antieméticos, sedação e, principalmente, apoio psicológico, devem ser prescritos. Terapias alternativas como acupuntura e hipnose podem ser empregadas.

Essas e outras informações sobre hiperemese gravídica você pode encontrar no livro ‘Saúde – Entendendo as Doenças, a Enciclopédia Médica da Família’, de minha autoria em conjunto com o Dr. Paulo Kauffman.

 

Comentários

comments