Notícias

Para Marcos Boulos, ‘epidemias são resultados do nosso subdesenvolvimento habitacional’

No último painel do Fórum Mitos e Fatos Jovem Pan sobre saúde, especialistas debateram os impactos sociais e econômicos da falta de saneamento básico que ainda assola grande parte dos municípios brasileiros.

“Com raras exceções, saneamento nunca foi prioridade de estado no Brasil,” critica Roberval Tavares,  presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. “Coleta e a destinação adequadas de resíduos sólidos impactam diretamente na saúde. Saneamento é a grande vacina para esse problema”.

Doenças como Dengue, Chikungunya e Zika e o trabalho de prevenção a elas também foi pauta da discussão. O infectologista Marcos Boulos relacionou a formação das cidades e o desenvolvimento econômico no Brasil à proliferação das doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti.

“As epidemias são resultados do nosso subdesenvolvimento habitacional. Isso facilita em muito a transmissão de doenças para as pessoas”, diz. “Há também um pensamento de que esses problemas só se resolvem quando eles invadem a pauta econômica”, critica Boulos. “Eliminamos o aedes aegypti uma vez só quando estrangeiros pararam de vir aos nossos portos com medo de malária. É preciso inverter essa lógica”.

Assista a um dos vídeos do painel abaixo: