A dança, com execução de passos coreografados, repetidos dentro de um método e com orientação profissional, ultrapassa o simples divertimento e proporciona diversos benefícios para a saúde física e mental. Isso é o que garantem os relatos a seguir.

Expressão corporal para crianças

Segundo Vanessa Ferrari, mãe da cantora infantil Luisa Ferrari afirma que a filha é um exemplo claro dos reais benefícios da dança para crianças. “A dança foi fundamental para ajudar a Luisa a trabalhar expressão corporal, performance de palco e até mesmo respiração. Ela ensaia com a coreógrafa Laura Cauchioli três vezes na semana durante 45 minutos já há algum tempo e os resultados tem sido incríveis”, diz, sobre a participante do “The Voice Kids 2019”.

No centro, Luisa Ferrari

Idade certa para começar

Tainá Grando, uma das principais coreógrafas do Brasil, reafirma os benefícios da dança para crianças. “Qualquer atividade física é ótima para crianças, independente de ser dança ou não. É possível começar a dançar e frequentar aulas de danças com 3 ou 4 anos. A dança ajuda na disciplina, coordenação motora e a desenvolver as habilidades da criança, aprendizado esse que será estendido para toda a vida”, opina.

No início do aprendizado de dança, diversos aspectos são levados em consideração. “São explorados os movimentos naturais de cada criança, seu ritmo próprio, sua expressão, respeitando as condições físicas e psíquicas de cada idade, as necessidades globais e as aspirações de cada um”, diz Tainá.

A coreógrafa Tainá Grando

 

Incentivo é fundamental

O educador físico e escritor Marcelo Santana reforça que é importante que os pais incentivem os filhos a se envolverem em atividades. “Os pais devem sempre estar alertas e incentivar seus filhos sempre com foco nos benefícios. Através da dança podemos auxiliar na redução de peso, mantendo o fluxo sanguíneo positivo, proporcionando condicionamento físico para a faixa etária, trabalho cognitivo e comportamental através dos ritmos e inclusão social por trabalhar em determinados momentos em grupos”, afirma.

No caso de crianças e adolescentes, as aulas tem que ter um caráter mais lúdico e descontraído para se exercitar e suar sem perceber. “Nessa faixa etária as atividades físicas não pode ser monótonas”, completa.

Por último, a dança garante a socialização nas crianças aliada a outras artes e conceitos. “Desde que a Luisa começou a fazer dança, tornou-se uma criança mais sociável e que se sente mais à vontade para interagir com as pessoas, o que é muito importante quando se tem uma carreira artística como ela”, finaliza Vanessa.

O educador físico Marcelo Santana

Paty Moraes Nobre

https://jovempan.uol.com.br/guiasp

Jornalista e agitadora cultural, atuou como repórter em rádios como Jovem Pan e Band, videorrepórter na TV Cultura, editora de notícias, lifestyle, TV e Cultura nas empresas Globo.com, Editora Globo, Caras e Portal iG. Casada e mãe, escreve sobre gastronomia no Portal UOL, é colunista da Exame Vip, da Editora Abril, e coordenadora das plataformas Mulheres da Pan e Revista Guia SP, da Jovem Pan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *