O primeiro post do jornalista Glenn Greenwald sobre a #ShowDoPavão foi uma thread que basicamente liga a disseminação da tag à Carlos Bolsonaro.

A linha de pensamento parte de um tuíte, feito no começo de junho, no qual Carlos Bolsonaro responde à Filipe G Martins, que se identifica como Assessor Especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais. Filipe diz:

“Meu negócio segue sendo lealdade ao Brasil, ao Presidente da República e à agenda escolhida pelo povo brasileiro nas urnas.”

E Carlos responde:

“Já sabe o que fazer com as penas do pavão”.

Glenn Greenwald seguiu apontando incoerências e alegando que foram publicados documentos falsificados e com erros de grafia:

Greenwald também tuitou a respeito dos responsáveis por disseminar a #:

A disseminação da tag realmente mobilizou o Twitter. Partindo até da nuvem de principais disseminadores podemos constatar algumas postagens:

Carlos Bolsonaro, que vem tuitando em código morse, riu em código morse e acrescentou um emoji de pavão aos seus posts recentes:

Eduardo Bolsonaro deu RT em um post que contém os prints que motivaram a tag #ShowDoPavão :

Outros descreditaram a história publicada, usando a tag para comentar. Pedro Doria, que é editor do Canal Meio, colunista do  Jornal O GloboEstadao e palestrante de tecnologia escreveu:

 

Vagina e bola para falar da Copa do Mundo de Futebol Feminino Catador é agredido e policiais são afastados

One thought on “#ShowDoPavão : apoios e resposta de Glenn Greenwald”

  1. Eduardo

    Quem diz que o BTC não pode ser rastreado não conhece o BTC. Quem não podem ser rastreados são o Monero e o Zcash.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.