Ainda está repercutindo a fala da cantoria Larissa Luz, que neste sábado durante a estreia do projeto Aya Bass, no Festival Sangue Novo, fez uma crítica à Daniela Mercury, que recentemente lançou a música Pantera Negra Deusa, em fala de Wakanda, nação negra criada pelo universo Marvel  que fica na África subsaariana, sendo a nação mais avançada do mundo e lar do Pantera Negra. Acompanhada no palco pelas parceiras de projeto, Luedji Luna e Xênia França, Larissa falou:

“Está na hora de parar de usar de um discurso que não é seu para lucrar. Está na hora de parar de usar de um lugar de fala que não é seu para ganhar. Porque preto de alma não existe! O Brasil é um país que mata, é um país que humilha, um país que condena a cor da pele e não a cor da alma! Quem é preto é preto. Quem não é, não é! A música preta é nossa! E Wakanda também, Wakanda também é nossa!”

A faixa, lançada em dezembro por Daniela Mercury diz:

“A pantera negra, a deusa
A mãe original do mundo
Mãe da única raça
A raça humana
Somos todos filhos da preta
Da preta ancestralidade africana
Filhos da tua nobreza
Filhos da mama Wakanda.

Se você quer entender os pontos de crítica sobre a música, leia esta matéria, do site Mundo Negro. 

“E o Brasil nasceu da África,
Tua mama

Não nasceu. E os indígenas que estavam aqui?  Valorizar uma cultura invisibilizando a outra?

E o Brasil é preto
E o branco é preto
É negão!

Branco é preto? Really? Vocês sabem o quão perigoso é para crianças negras sairem cantarolando essa poesia da democracia racial poética da Daniela Mercury? Branco é branco e preto é preto. O que é feio é o racismo.  As diferenças, a diversidade, a pluralidade são riquezas da humanidade.

E vamos para parte que faria T’chala sair de Wakanda  e ir a Salvador para perguntar “qual é?” para “Rainha do Axé”.

Diga diga diga onde é wakanda

(…)

Wakanda é Bahia
Portugal sul e norte
Da América

Wakanda é na Europa, na Ásia
Na índia, na Portela

Cara gente branca, bem intencionada e de bom coração, não fale sobre Wakanda em sua arte. Wakanda foi feito dos pretos para os pretos. Eu fiquei ofendida com essa ideia de Wakanda é na Europa. (mesmo que ela esteja falando da diáspora, ainda assim é ruim)  Ou a Daniela não viu o filme, ou não entendeu. “

Xênia França, que estava em palco com Larissa, chegou a questionar Mercury nas redes sociais, na postagem que anunciou o remix de Pantera Negra Deusa com o grupo italiano Ikoko, também composto por pessoas brancas.por meio das redes sociais. “Por que tu chamas se não me conhece?”, perguntou.

Direto do Sofá: todos os motivos para ver Sex Education Ator de Empire é agredido em ataque homofóbico e racista

2 thoughts on “Daniela Mercury criticada por apropriação cultural.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.