A revista Mad anunciou que a partir da próxima edição só publicará material novo nos especiais de fim de ano. Fundada em 1952, e famosa por seu humor satírico, a Mad chegou ao Brasil em 1974 e circulou até 2017.  Chegou a vender 210 mil exemplares nos tempos áureos, e influenciou toda uma geração.

“Depois da edição #10, neste outono, não haverá conteúdo novo – exceto pelos especiais de fim de ano, que sempre serão inéditos. A partir da edição #11, a revista trará os clássicos, o melhor e o mais nostálgico dos últimos 67 anos”

O comediante Danilo Gentili foi um dos que se manifestou com a notícia do encerramento das atividades:

Ota Assunção que foi o editor responsável pela versão brasileira da Mad, também falou sobre o encerramento da publicação nos Estados Unidos:

O colunista Chico Barney, recuperou um pouco da história de Ota, que esteve a frente da revista nas duas melhores fases , quando impressa pela editora Vecchi e depois pela Record.

“Desde que esta maldita crise começou os frilas sumiram. A única solução pra não morrer de fome foi começar produzir meus gibis eu mesmo, dar uma de camelô e sair vendendo pela rua ou pelo correio diretamente para os fãs. Ou em eventos. Se você gosta de mim e quer me dar uma força me chame no messenger ou no zap e eu passo as coordenadas”

Este domingo, Ota participa da Rio Comic Fun onde participará das mesas de debate sobre a Marvel ( ele também foi editor de  publicações deles) e falará sobre o fim da Mad, além de mostrar suas novas animações.

Curiosidade: Quem é o ruivo da capa?

Alfred E. Neuman é o nome adotado para a personagem símbolo da revista norte-americana Mad. Assumia diversas personalidades como estrela das capas, que geralmente abordavam assuntos em alta em clima de deboche.

 

 

Papa: Integridade da Justiça Fleabag, Killing Eve e Crashing: Amamos Phoebe Waller-Bridge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.